Informativo

Sabor do café começa no cultivo e na torra

Quanto mais escura a torra dos grãos, mais amargo será o café produzido com eles


Quanto mais escura a torra dos grãos, mais amargo será o café produzido com eles. A intensidade da torra ou torrefação é um dos principais responsáveis por conferir as características sensoriais ao nosso tradicional cafezinho. O território onde os grãos são cultivados e a maneira como as empresas misturam esses grãos são outros dois pontos que ajudam a definir o sabor da bebida.

Eliana Relvas, consultora de cafés do Pão de Açúcar, afirma que antes de entender como o sabor é conferido ao café, os consumidores precisam saber qual o tipo da bebida que mais lhes agrada. Ela explica que o produto é divido em três categorias de qualidade: tradicional, superior e gourmet. Os cafés classificados como tradicionais são mais fortes e amargos, além de ter custo mais acessível, enquanto os da categoria superior apresentam aroma mais intenso e sabor forte, porém delicado. As bebidas gourmet têm aroma e sabor suaves e delicados, também são as com maior valor agregado no mercado.

As categorias de qualidade do café foram lançadas pela ABIC, Associação Brasileira da Indústria do Café, em 2004 e podem ser identificadas a partir de um selo na embalagem dos produtos de fabricantes que participam do programa.

Embora a região onde o grão de café foi cultivado influencie no sabor da bebida, Eliana Relvas destaca que o produto torrado e moído ou torrado em grão que o consumidor adquire embalado nos supermercados é formado por uma composição de grãos de regiões diferentes, chamada de blend. O objetivo das empresas produtoras ao fazer essa mistura é garantir sempre o mesmo sabor ao café. A seguir, saiba mais sobre as regiões de cultivo.

Bbel um estilo de vida

 

Fonte: ABIC


Imprimir